Resenha Filme | Animais Fantásticos & Onde Habitam

Na noite desta quarta-feira, 16/11, ocorreu a pré estréia da Warner Bros para convidados de Animais Fantásticos & Onde Habitam, e fomos conferir de pertinho o retorno do universo mágico de J.K. Rowling para as telonas.

whatsapp-image-2016-11-18-at-16-59-11
Mais de cinco anos se passaram desde a estréia de Harry Potter & as Relíquias da Morte parte 2, e naquele momento pensamos ter dado adeus ao mundo bruxo nos cinemas.

A franquia sobreviveu em nossos corações, com o anuncio da peça The Cursed Child e com a plataforma Pottermore, mas nada poderia ter nos preparado para o anuncio em meados de 2015 que nosso mundo mágico voltaria aos cinemas no spinoff Animais Fantásticos & Onde Habitam.

Para quem vive naquela caverna marota, Animais Fantásticos & Onde Habitam é um dos livros texto utilizados pelos alunos de Hogwarts, e também foi um lançamento de Rowling sob o pseudônimo de Newt Scamander, cujas vendas destinavam grande parte da renda à instituição para crianças carentes Comic Relief.

Quando a adaptação do filme foi anunciada, eu tinha em mente a história de um bruxo percorrendo o mundo para completar sua enciclopédia sobre animais fantásticos, porém à medida que as notícias pipocavam,  J.K. Rowling como roteirista, uma nova franquia de 5 filmes no total, a empolgação só se fez aumentar.

whatsapp-image-2016-11-18-at-16-59-10-1

fonte: fanpage de Animais Fantásticos & Onde Habitam no facebook

Na quarta-feira, estava pronta para me reunir novamente com os amigos que fiz graças à Harry Potter, mas estava tranquila, esperando um filme mágico, colorido e divertido. Tomei uma rasteira que jamais poderia imaginar.

Hey, mas calma. Foi a melhor rasteira possível. Que surpresa, que filme, meus amigos! Esqueça uma história focada apenas na magia, espere uma expansão na sua visão desse universo.

Tentando ao máximo evitar spoilers, o foco de Animais Fantásticos não é nas criaturas em si. A magizoologia de Scammander serve como pano de fundo para uma história de conflito social e guerra.

Não estamos mais falando de acompanhar a jornada de alunos em uma escola incrível, estamos falando do conflito crescente entre a sociedade mágica e não-mágica, preconceito, homens e mulheres que tiram vantagem do  medo para promoverem suas próprias ideologias.

Entendam, eu jamais desmereceria a importância da franquia original. Ou a magia que ela levou à nossas vidas, porém Animais Fantásticos é mais, muito mais em apenas um filme. Talvez porque muitos elementos tenham se perdido nos roteiros adaptados, e agora temos em mãos a mãe desse universo escrevendo o que vemos.

Ao contrário da franquia original onde preconceito e guerra eram muito mais subjetivas, agora elas tomam o plano principal, e a magia é a maravilhosa cobertura de um filme com uma história reflexiva, profunda e mais madura. Cada referência é deliciosa de se acompanhar como fã de longa data e o tempo histórico dos acontecimentos é preciso em relação aos originais.

Ah, e as atuações, não podemos deixar as atuações de fora. Contamos com um elenco de peso oscarizado – e não à toa- aqui. Redmayne dá uma humanidade à Scamander inimaginável à quem leu o livro. Collin Farrell, como Percival Graves, trás aquela deliciosa sensação de atração ao vilão, e a dupla menos conhecida Alison Sudol (Queenie Goldstein) e Dan Fogler (Jacob Kowalski) trazem aquele farol de bom humor e amizade essenciais ao suporte do herói, por vezes até roubando a cena.

Em geral, um filme 5 estrelas. Além de ser maravilhoso poder voltar a formular teorias do que vem por aí nos próximos.

E vocês, já viram o filme? E o que esperam da franquia daqui para frente?

 

About Nathy

Viciada em livros, séries e filmes. Oi, watch it spaceman!