Resenha / Star Wars – Lordes dos Sith

star-wars-lordes-dos-sith-paul-s-kemp-editora-alephLivro: Lordes dos Sith

Autor: Paul S. Kemp

Editora: Aleph

A cada lançamento do novo cânone de Star Wars, a Disney demonstra claramente a ambição de expandir cada vez mais o conteúdo além dos filmes e que tudo faz parte de uma trama muito bem elaborada. Prova disso é que com poucos livros já lançados, o autor Paul S. Kemp conseguiu ser o primeiro a pavimentar ainda mais os espaços entre os episódios da série. Lordes dos Sith levará o leitor para dentro dos pensamentos de Darth Vader, além de focar em um dos estopins para o início da Aliança Rebelde e criar laços com um outro livro do novo cânone: Um Novo Amanhecer (clique aqui para ler a nossa resenha).

Com uma promessa de ação ininterrupta o primeiro capítulo do livro já coloca Darth Vader perseguindo Cham Syndulla e sua companheira Isval, que arquitetaram o roubo uma nave imperial. O líder do movimento Ryloth Livre vê seu plano ser arruinado pelo novo Lorde Sith e transforma como seu objetivo a destruição do Império.

Em Ryloth, explorado por conta de uma especiaria, temos a Moff Delian Mors e o Coronel Belkor Dray, e, assim como em Marcas da Guerra, podemos perceber como é a convivência entre as altas patentes do Império. Mors e Dray coexistem e convivem para sobreviverem à imposição do medo e poder, sem contar o joguete político que existe pelo patamar mais alto no comando do planeta. O legal dessa trama é nos remeter ao problema enfrentado por Rae Sloane em Marcas da Guerra, frente ao grande escalão do antigo Império e sua própria ambição, fazendo com que os leitores sejam colocados em um cenário familiar para quem acompanha o Universo Expandido.

Após os acontecimentos com a fagulha da rebelião, o Imperador Palpatine decide ir à Ryloth. Munidos dessa informação sigilosa, Cham arma um plano para atacar o Destróier Estelar Perigo. Enquanto o plano começa a ser desenhado e a caça aos Lordes Sith se desenrola, podemos presenciar várias facetas dos principais personagens: a inteligência e estratégia militar de Cham, os conflitos internos de Darth Vader que acompanham sua postura como fiel aprendiz de Darth Sidious, o poder que Palpatine representa para seus subordinados e, infelizmente, uma jornada sem muito sentido para a história principal (a não ser que seja explorado em outro livro) de Isval em busca da libertação de uma Twi’lek escrava.

O autor soube respeitar muito bem cada característica dos personagens e ainda nos levou para um lado desconhecido de Vader, com seus conflitos internos, aceitações durante a sua transição de Jedi para Sith, sua postura de aprendiz e de que maneira encarou sua “traição” aos seus antigos companheiros. Da mesma maneira, Kemp trabalhou as tramas para conseguir nos trazer referências de Clone Wars e A Vingança dos Sith, na tentativa de amarrar e ficar o mais próximo possível do material considerado canônico.

Ao final de tudo você perceberá dois pontos importantíssimos: os Twi’leks se firmam como a raça mais interessante do Universo Expandido, reforçando a qualidade da história que vimos em Um Novo Amanhecer, e que entre o episódio III e IV aconteceram muitas histórias a serem exploradas e que podem nos mostrar mais sobre a formação de Vader, do seu treinamento à ascensão ao ponto de Sith mais poderoso e temido.

Uma leitura rápida, agradável e obrigatória para quem está acompanhando o novo cânone. Além de ser um recheio extra para quem sempre desejou ver Darth Vader em ação, num filme que até agora não foi confirmado, mas que os livros estão conseguindo nos entregar com tanta maestria.

Gostou da nossa resenha? Então aproveite a oportunidade para comprar o seu exemplar pelo link do Bookeando e ainda nos ajuda a manter o site!

About Rafael Nery

1) Geminiano e Nerd 2) Adoro usar xadrez 3) Amante de quadrinhos, games, filmes e desenhos 4) Estudioso da cultura japonesa 5) Viciado em literatura fantástica