Resenha / O Homem do Castelo Alto

Philip K Dick O Homem do Castelo AltoLivro: O Homem do Castelo Alto

Autor: Philip K. Dick

Editora: Aleph

O estilo “What if” (E se…) levado ao extremo em uma realidade alternativa opressora, porém trabalhada por Dick de maneira distante das distopias que estamos acostumados a encontrar atualmente. Um livro que trabalha brilhantemente questões sobre etnias, religião e, claro, realidade, estereotipando um pós-guerra que nunca existiu de verdade, porém não deixou de perder algumas características que conhecemos e aceitamos.

No livro os países do Eixo (Alemanha, Japão e Itália) venceram os Aliados (EUA, Reino Unido e União Soviética) e reescrevem a história mundial que conhecemos, mas não tanto. Judeus são caçados, negros são escravizados, EUA é dividido pela Alemanha e Japão, causando uma Guerra Fria entre os países.

The Man in the High Castle

Um dos pontos mais importantes desse livro é a maneira como PKD trabalha as etnias e a cultura: japoneses são educados e inescrutáveis, americanos são emocionais e desajeitados, chineses são brutos e servis, alemães são ordenados e maníacos. Todos eles vivendo num constante complexo de inferioridade cultural, em que o dominado acaba assimilando, aceitando e oprimindo seu próprio legado cultural; um retrato estereotipado e caricato do que aconteceu após 1945.

Essas características nos levam aos personagens dessa história e o desenrolar dela nos Estados Americanos do Pacífico, duas décadas após a rendição dos Aliados. Frank e Juliana Frink, Nobusuke Tagomi, Mr. Baynes, Robert Childan e, por fim, mas longe de ser menos importante, Paul e Betty Kasoura. Cada um deles iniciam o livro de maneira desconexa, porém passam de meros cidadãos para personagens complexos e que desenvolverão, de maneira gradual e crescente, todo o enredo criado por PKD.

Deixe de lado toda a aventura, batalha e provações das distopias que cresceram com Jogos Vorazes para encarar uma história que se esquiva do comum para nos entregar personagens que vão instigar o leitor a questionar sobre o que é realidade e se tudo o que está acontecendo é real.

Isso só é possível, pois PKD retira os conflitos banais e juvenis para incluir dois importantes livros que farão a história crescer: I Ching, livro milenar livro chinês, usado por todos os personagens (exceto os alemães) para a tomada de decisão e previsão de ações. E, por fim, o livro O Gafanhoto Tornou-se Pesado, um livro escrito por Abendsen, o misterioso Homem do Castelo Alto que dá nome ao livro, que foi proibido pelo nazismo por narrar uma realidade em que os países do Eixo são derrotados e a história mundial é escrita da maneira como conhecemos. Uma distopia dentro de outra, um labirinto de realidades e que vai te dar um breve vislumbre da mente brilhante de Philip K. Dick.

Uma ficção científica primorosa e uma leitura agradabilíssima, que vai te levar por viés jamais pensados e imaginar como seria uma realidade, que indiferente da nossa, vai choca-lo de alguma maneira. Realidade, aquilo que é formado pelas impressões de seres que vivenciam um acontecimento, poderia sofrer como algo cultural e ser alterado por quem escreve sobre o passado? Afinal nós, leitores, não aceitamos a história escrita como algo real e certo? Boa leitura!

Amazon The Man in the High Castle

A série está sendo adaptada pela Amazon, sob comando de Ridley Scott, e já ganhou uma primeira temporada completa. Confira abaixo o trailer e prepare-se para a segunda temporada.

Gostou da nossa resenha? Então aproveite a oportunidade e compre o seu exemplar pelo link do Bookeando e nos ajude a manter o site!

About Rafael Nery

1) Geminiano e Nerd 2) Adoro usar xadrez 3) Amante de quadrinhos, games, filmes e desenhos 4) Estudioso da cultura japonesa 5) Viciado em literatura fantástica