Resenha / A Máquina Diferencial

A Máquina Diferencial Steampunk William GibsonLivro: A Máquina Diferencial

Autor: William Gibson e Bruce Sterling

Editora: Aleph

Imagine um gigantesco “E se…” (do estilo “What i” que inunda os livros, quadrinhos e games) escrito por William Gibson e Bruce Sterling, gênios responsáveis pela cultura Cyberpunk e que revolucionaram o estilo steampunk ao criarem uma Inglaterra Vitoriana tecnocrata e principal potencial mundial, distorcendo a história como conhecemos e imaginando como seria se tivéssemos a criação dos computadores 100 anos antes de quando eles surgiram.

Um romance histórico que busca na Máquina Diferencial, de Charles Babbage, uma máquina para cálculos polinômios idealizada pelo pai dos computadores durante a Segunda Revolução Industrial, o ponto de ignição para o seu enredo. Com a evolução da ciência, tecnologia e das máquinas, Lorde Byron e os Rads, Partido Radical Britânico, evitam o golpe de estado e chegam ao poder para mudar completamente a história mundial: Japão tem seus portos abertos, Estados Unidos é fragmentado em repúblicas e territórios menores, a aristocracia britânica perde seu lugar no trono real e dá lugar a meritocracia científica protegida por Byron, agora Primeiro Ministro.

Os cartões perfurados, idealizado por Babbage, estão por toda Londres e nos levam a um panorama totalmente inusitado para o desenrolar da história. Máquinas a vapor e autômatos, usando a programação do seu invento, com engrenagens em todos os lugares interpretando os algoritmos e realizando cálculos matemáticos. Todas as informações histórias presentes no livro também sofrem com a inovação tecnologia precoce e comprova que os sete anos de pesquisa dos dois autores, que escreveram a história simultaneamente, servem como base sólida para o desenvolvimento dos personagens.

A história que habita o universo criado por Gibson e Sterling envolvem Sybil Gerard, uma prostituta e filha de um líder ludita, Sam Houston, Presidente da República do Texas, Ada Byron, a Rainha das Máquinas, Mallory, o paleontólogo, o Policial Fraser, o Capitão Swing, um criminoso (sem spoilers por aqui) e, por fim, Oliphant, que vai muito além de um simples jornalista, são os principais personagens dessa história, que inicialmente surgem como totalmente desconexas, porém o livro prepara algumas surpresas para nos mostrar uma grande conspiração.

Próximo a eles estão alguns personagens e fatos históricos que surgem como um dos pontos altos do livro, que só perdem para o universo steampunk criado pelos autores. A interação e interferência da ficção com a realidade, algo que muitos autores atuais conseguem fazer brilhantemente, nos mostram uma nova forma de construir algo totalmente novo. A desconstrução de algumas personalidades, o surgimento de novos nomes e até mesmo a ficção sendo levada para elementos políticos, com a ciência sendo base para uma sociedade, são um espetáculo a parte durante a leitura.

O livro chega ao Brasil pela Editora Aleph em uma edição incrível, com um Glossário de termos e breves contextos históricos de personalidades da história mundial, além de um posfácio escrito por Gibson e Sterling, além de um mapa mundial para uso como referência do leitor durante a história. Tudo isso com uma ilustração de capa belíssima e o trabalho gráfico impecável que já conhecemos da Aleph.

Gostou da nossa resenha? Então aproveite a oportunidade para comprar a sua edição pelo link do Bookeando e nos ajude a manter o site!

About Rafael Nery

1) Geminiano e Nerd 2) Adoro usar xadrez 3) Amante de quadrinhos, games, filmes e desenhos 4) Estudioso da cultura japonesa 5) Viciado em literatura fantástica