Resenha: O Quarto

Livro: Quarto

Editora: Verus/Record

Autora: Emma Donoghue

A resenha desta semana, é um sucesso publicado recentemente pela editora Verus, da autora Emma Donoghue. O quarto é best-seller do New York Times, denominado melhor livro do ano, e finalista de muitos prêmios. Se apaixone pelas descobertas do mundo Lá de Fora de Jack, um garoto de 5 anos, que cresceu num mundo entre quatro paredes.

[SINOPSE: Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, lêem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la. O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar.]

A leitura de Quarto aflorou tantos sentimentos, pensamentos e emoções que procurei muitas palavras para descrevê-los a vocês leitores, e peço perdão se pecar, pois nada se compara a leitura dele. Algumas pessoas me perguntaram depois de ler a sinopse, se o livro não era muito infantil, já que é descrito na percepção de Jack, uma criança, e a resposta é não, a autora conseguiu equilibrar entre o infantil e o perspicaz, e você se vê na mente de um garoto que tem percepções, e se vê dentro da mente dele, e mesmo sendo algo engraçado e ao mesmo tempo assustador de como eles interpretam os adultos. A leitura se mostra viciante, completando emoções a cada parágrafo.

Acho que depois deste livro realmente gosto mais de crianças, o amor entre mãe e Jack é de uma superioridade, que somente por esta, eles conseguiram sobreviver a tantos horrores durante 5 anos no quarto do Velho Nick. Mas o que é horror quando se não conhece o concebivel?

A ingenuidade do protagonista, é tratada de uma forma muito original, e em momento algum mesmo nos capítulos da prisão, não me senti intrigada a largar o livro, pois Jack é uma maquininha de pensamentos, que surpreende até o mais velho dos leitores. Decididamente, o melhor livro interpretado por uma criança que eu já li, me senti tão ligada a Jack que queria protegê-lo de tudo e a cada página, que vinha alguma reação a um novo acontecimento e conhecimento já tão cotidiano para mim, ele me tirava um sorriso, ou uma estremecida de lágrimas.

Quando Jack finalmente morre para nascer no Mundo Lá de Fora, e ele começa a tocar, sentir e a conviver com outras pessoas, você se da conta de como a criação persiste numa vida, e de como a inocência é um sentimento tão humano e terno. È extremamente encantador descobrir com ele o nosso mundo tão já conhecido, mas mesmo assim só uma criança é tão perspicaz para tais sentimentos.

“ Quarto é um livro para se ler de uma assentada. Quando ele termina, você ergue os olhos: o mundo parece o mesmo, mas de algum modo você está diferente, e esta sensação persiste por dias” AUDREY NIFFENEGGER autora de A mulher do viajante do tempo e Estranha Simetria.

Uma leitura Fascinante! Boa leitura e até mais…

About Lica

Zootecnista, amante dos bichos, livros, séries, e filmes.